sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Nuvem no Brasil? Só no Céu!!!


Computação em nuvem...

Tá certo que o título indica um âmbito nacional, mas a realidade de que posso falar é a minha: Rio de Janeiro, zona-oeste-não-barra-da-tijuca.

Cada chuva de verão que tem caído nas últimas semanas tem significado para mim pelo menos quatro horas sem internet.

Como poderei abrir mão de ter poder acessar offline meus 8gb de artigos, quadrinhos e livros digitais quando não posso confiar na cara e ruim conexão que tenho?

Como poderei desinstalar meu libre office para usar google docs se neste exato momento estou  escrevendo isto totalmente offline - e sem energia elétrica, dá-lhe bateria do notebook...

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Percepção, informação, visão e filtro

Se enxergássemos 'só' quase tudo o que há no ambiente ao nosso redor, teríamos que processar uma quantidade ainda mais inimaginável de "informação"¹. Imagine como seria a vista da janela à sua frente - se há alguma- se você enxergasse raio x, ultra violeta, ondas de som etc. Ou se, ao olharmos para um objeto, nós o víssemos em seus mínimos detalhes e a nível quase microscópico...

Não estou falando da mesma que coisa que TÁLAMO (2004), quando ela se refere aos Bretões distinguirem o arco-íris com 4 cores, enquanto nós com 7... Estou falando muito mais do aspecto físico do nosso sentido de visão do que cultural.

Como filtros

Nossos olhos parecem fazer uma leitura dinâmica do ambiente - a nível fisiológico, atuam como um filtro da "realidade", ao não captar todos os "fenômenos" (ondas, por exemplo) que só acreditamos existirem por conta do uso de instrumentos para captá-los; e a nível comportamental ao ter a tendência a realizar uma "leitura dinâmica" dos espaços, isto é, promover uma varredura sem focar-se fixamente em apenas uma coisa... Vemos uma versão comprimida do mundo, é como ter um mundo em "wav" mas só vermos sua versão mp3.

Será que nossos ancestrais enxergavam muito mais do que a gente? Será que ver, por exemplo, raio x, nos faria ter mais sucesso na sobrevivência? Ou será que o caráter seletivo e generalizador do nosso modo de enxergar foi crucial para o nosso sucesso (em números) como espécie?


TÁLAMO, Maria de Fátima G. M. A Pesquisa: recepção da informação e produção do conhecimento. DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação - v.5 n.2 abr/04. Disponível em http://www.dgz.org.br/abr04/Art_01.htm. Acessado aos 11/12/2012


1- Frente a alguns autores de CI, a informação de que falo talvez não seja a "informação" definida na terminologia. Eu pensei que pudesse ser "sense-data", mas não parece ser exatamente a mesma coisa, muito embora os dois últimos trechos se aproximem...


Sense Data:

Sense data are the alleged mind-dependent objects that we are directly aware of in perception, and that have exactly the properties they appear to have. For instance, sense data theorists say that, upon viewing a tomato in normal conditions, one forms an image of the tomato in one's mind. This image is red and round. The mental image is an example of a “sense datum.” Many philosophers have rejected the notion of sense data, either because they believe that perception gives us direct awareness ofphysical phenomena, rather than mere mental images, or because they believe that the mental phenomena involved in perception do not have the properties that appear to us (for instance, I might have a visual experience representing a red, round tomato, but my experience is not itself red or round). Defenders of sense data have argued, among other things, that sense data are required to explain such phenomena as perspectival variation, illusion, and hallucination. Critics of sense data have objected to the theory's commitment to mind-body dualism, the problems it raises for our knowledge of the external world, its difficulty in locating sense data in physical space, and its apparent commitment to the existence of objects with indeterminate properties.


Those who accept sense data believe that sense data exist whenever a person perceives anything, by any of the senses, and also whenever a person has an experience qualitatively like perceiving, such as a hallucination.


Huemer, Michael, "Sense-Data", The Stanford Encyclopedia of Philosophy (Spring 2011 Edition), Edward N. Zalta (ed.), URL = .

---

Sense-data can be characterized as the immediate objects of the acts of sensory awareness that occur both in normal perception, and also in related phenomena such as illusion and hallucination. The central idea is that whenever I have an experience in which I perceive, or seem to perceive, a physical object, there is something immediately present to my consciousness. This “something” is a distinct object, a sense-datum that I am aware of, which actually has the qualities it appears to have. There is a mental act of awareness that involves a relation to a distinct object (Moore, 1903 and 1913). This act of awareness is sometimes also called an act of “acquaintance” or an act of “apprehension”. Sense-data entities, although often interpreted as non-physical, have real concrete existence; they are not like imaginary objects, such as unicorns, nor like abstract objects, such as propositions.

COATES, Paul. Internet Encyclopedia fo Philosophy. University of Hertfordshire, United Kingdom, 2007. http://www.iep.utm.edu/sense-da/

---

Sense-data, Entities that are the direct objects of sensation. Examples of sense-data are the circular image one sees when viewing the face of a penny and the oblong image one sees when viewing the penny from an angle. Other examples are the image one sees with one’s eyes closed after staring at a bright light (an afterimage) and the dagger Macbeth sees floating before him (a hallucination). In each case, according to sense-data theorists, there is something of which one is directly aware, and that something is the sense-datum.


"sense-data." Encyclopædia Britannica. Encyclopædia Britannica Online Academic Edition. Encyclopædia Britannica Inc., 2012. Web. 11 Dec. 2012. <http://www.britannica.com/EBchecked/topic/534721/sense-data>.

  ©Template por Dicas Blogger Modificado por mim!

TOPO